19/05/11

MUITA FÉ

Mantis religiosa- Louva-a-Deus.
Nikon, Nikkor 105 mm, VR, Micro.
Local: Vale do Côa.

6 comentários:

Lis disse...

Armindo,
louvo a Deus pela sua chegada! rs
e chegou bem trazendo esperança.
Flagrante maravilhoso!
abraço

KrystalDiVerso disse...

Sempre olhei para os Louva-deus com um certo respeito; talvez pela impressão estranha que me causavam!... Amedrontavam-me, na minha infância!... Hoje continuo a respeitar aquela “arquitectura” de defesa e nem sequer penso em atacar a criatura de deus!... Nem todos temem, nem todos são sensíveis a impressões de respeito!...
Isto vem a propósito, desta sua foto, que me faz recuar uns 28 anos!.. Tempo de tropa, aquele Serviço Militar Obrigatório, mas que até ajudava em muita coisa, acima de tudo, a “saloios” como aqui este rapazola!... Aveiro (BIA), Final da especialidade de transmissões, a trabalhar com relíquias de museu e “guerras Ultramarinas”, instrução teórica, que é como quem diz, galhofa total e, de repente, entra em cena um louva-deus que, o mais certo era ser “uma”, pelo tamanho da “barrigona” que arrastava!... Com a febre dos últimos dias da “especialidade”, saltou uma aposta para o calor do entusiasmo: -Quinhentos paus e como o louva-deus, propôs o “grandalhuço tatuado e feio como um burro!!.... Aquilo prometia e eu estava disposto a ver até onde ia a garganta do enorme. Em dois tempos foi feita uma colecta de ocasião e lá chegamos aos quinhentos do trato. O espectáculo veio logo a seguir, com o Aspirante tão curioso quanto nós, mas, não antes de chegar uma cervejola fresquinha para ajudar a empurrar o petisco.
Almeida, o grandalhuço e enorme tatuado em tudo que era sítio, pegou no bicho verdinho e gordo, que devia ser uma e prenha, dobrou-a até juntar a cabeça ao rabo, -não pude deixar de reparar naquela enorme barriga verde que, dobrada, ainda parecia maior e prestes a rebentar; Só as asas ficaram, em pleno contraste, ficaram direitas e bastantes rígidas.
Com os olhos muito abertos e espavorido de todo, o louva-deus nem deve ter percebido que a sua última viagem, passava por entre dentes, movimentos de língua e estreitar-se-ia entre garganta até chegar ao reboliço de um estômago!... talvez se apercebesse de alguns dentes numa boca que o mastigou numa rapidez nervosa e tresloucada!... Não querendo perder nada do momento, aproximei-me, bem perto, daquela boca onde crescia uma massa averdejada entre o estalar de patas e asas de louva-deus!... Os olhos do “grandalhuço” continuavam esbugalhados e, em poucos segundos, uma cerveja bebida de uma só golada, terminou com uma das cenas mais repugnastes que vi na vida!... Por mais insignificante que pareça.




Abraço

d'Alma disse...

Um bocadinho "assustador"!...
Confirmo a veracidade da história, aí em cima do "KrystalDiverso", não fosse ele e d'Alma, uma e amesma pessoa; apenas um erro sem qualquer problema!...


Abraço

mariiana capela fotografia disse...

Está fantástica. os meus parabéns!

Sérgio Pontes disse...

No outro dia vi um ao vivo, já à algum tempo que não via nenhum =)

teca disse...

Que impressionante... como ele te encara para a foto! :O

Você é demais, Armindo!
Beijo.