05/04/13

O CÉU COMO LIMITE

Quando olhamos a sua verticalidade, nos sentimos insigificantes, demasiado pequenos...

Nikon D700, Nikkor 24/70, F:2.8
Local: Ribeira da Isna- Aldeia Ruiva.

8 comentários:

Marina Linhares disse...

Beleza de vertical, algo assim como... infinito.

O tempo tem sido o meu maior inimigo.

✿ chica disse...

Tanto o céu, quanto o mar, nos fazem ver o nosso real tamanho...Insignificantes, somos! LINDAS fotos! abração,chica

Patricia disse...

Es verdad nos sentimos como una semilla!! demasiado pequenos!!
un beso, feliz fin de semana!!

lis disse...

Oi Armindo,
Além de oxigenar a atmosfera ,são muito lindas essas árvores ,também gosto de fotografá-las(não tão bem quanto voce!)
Ah e queria te dizer que a sua marca d'água nas fotografias é pouco visível,poderia dar mais uma clareadinha,o lado artístico é um pouquinho prejudicado mas protege bastante quanto ao uso não autorizado...
Desculpe me meter no trabalho do meu mestre! rs
fica o abraço

Rovênia disse...

Olá,

Lindo demais. Somos mesmo insignificantes, mas tantas vezes esquecemos disso e nos achamos grande coisa, não é? Parabéns pelo trabalho e sensibilidade.

Respeitoso abraço,
Rovênia

Lilá(s) disse...

Somos sem duvida insignificantes!!
Bjs

teca disse...

Imensamente pequenos diante de tanta vida...

Beijos.

Paulo Vasco Pereira disse...

Incrível!
Parabéns