20/01/15

OLHARES SOLTOS

Ali, mesmo à portinha de casa- Proença-a-Nova.

4 comentários:

Teca M. Jorge disse...

Apaixonante! Beijo, poeta.

Ana Freire disse...

E assim mesmo... à porta de casa... como quem não quer a coisa... despercebidamente... consegue-se uma imagem extraordinária...
O que dizer? É impressionante!...
Quem sabe... sabe...
Fantástica e perfeita, a combinação da flor, com o reflexo de luz laranja, Armindo...
Abraço
Ana

Nidja Andrade disse...

"Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida..." Abraço

Lilá(s) disse...

É tão bom poder apreciar estas maravilhas mesmo á porta de casa! belíssima imagem!
Bjs